Você está em:    Home      Notícias      Dia a Dia Salesiano      Salesianos da MSMT recebem o sacramento da Ordem

Salesianos da MSMT recebem o sacramento da Ordem

3 de julho de 2019

O salesiano estudante de teologia, André Luiz Mattner Neuhaus, de 27 anos, fez sua primeira profissão religiosa em 2011. Ele recebeu a ordem do diaconato no último dia 16 de junho, em Jerusalém, onde realiza a etapa formativa que antecede a ordenação sacerdotal. Como lema diaconal ele escolheu “Eu estou entre vocês como quem serve” (Lc. 22.27). Sobre os desafios da vida religiosa diante do mundo secularizado deste século XXI, André afirmou: “A vida religiosa sempre esteve embasada na proposta de seguir Jesus Cristo da forma mais radical possível, ser fiel a essa radicalidade é algo exigente pois, somos naturalmente inclinados a nos acomodar ou então simplesmente nos contentar com aquilo que já alcançamos. Por isso, penso que o grande desafio da vida religiosa e ao mesmo tempo sua beleza está na disponibilidade a ação do Espírito Santo que sempre nos impulsiona a ir mais além”.

 

Explicando os sacramentos — Depois de receber os Sacramentos de Iniciação – Batismo, Crisma e Eucaristia, que são a base da vocação comum de todos os discípulos de Cristo, vocação à santidade e à missão de evangelização no mundo (cf. CIC 1533) – dois outros Sacramentos “conferem uma missão particular na Igreja e servem para a edificação do Povo de Deus (cf. CIC 1534). São os Sacramentos da Ordem e do Matrimônio. O Sacramento da Ordem, ainda, comporta três graus: o episcopado, o presbiterado e o diaconato”.

 

O diácono na Sagrada Escritura — O termo “diácono” aparece no Novo Testamento com quatro significados. O primeiro é aquele da linguagem comum: “aquele que serve alguém” (Mc 9,35; Jo 2,5). O segundo é a apresentação de Cristo como servo do Pai (Mc 10,45; Lc 22,27). O terceiro está ligado a todos os cristãos, visto que eles são servos de Cristo e de seu Pai (Jo 12,26; ICor 3,5). O quarto sentido está ligado a um determinado cargo e função na Igreja Primitiva (Fl 1,1; ITm 3,8). Este último significado é aquele que corresponde a origem da ordem do diaconato.

No Livro dos Atos dos Apóstolos, São Lucas nos narra os motivos da instituição do ministério dos diáconos. Na passagem de At 6,1-7, conta que os doze apóstolos escolheram sete homens de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria para se dedicarem a administração e ao serviço da caridade enquanto eles se dedicariam a oração e a pregação da Palavra. Apesar de não figurar a palavra “diácono” neste relato, aparece o nome dos sete primeiros (Estêvão, Filipe, Prócoro, Nicanor, Timão, Pármenas e Nicolau) e, mais tarde, o texto os apresenta pregando a Palavra e batizando (At 6,8-14; 8,5-13). Deve-se notar ainda, a imposição das mãos, acompanhada da oração, realizada pelos Apóstolos sobre os sete escolhidos para o serviço (At 6,6).

Ordenados para o serviço — Seguindo a prática das primeiras comunidades cristãs, testemunhada na Sagrada Escritura e conservada na Tradição, a Igreja continua escolhendo homens que possam exercer um ministério de serviço. Para isto, o rito essencial da ordenação diaconal é a imposição das mãos e a oração realizada pelo Bispo. Esta oração pede a Deus Pai que consagre o ordenando como diácono e que envie sobre ele os dons do Espírito Santo para que ele possa exercer com fidelidade o ministério de serviço. Nela se apresenta o que se espera de um diácono: amor sincero, solicitude para com os pobres e os enfermos, autoridade discreta, simplicidade de coração e uma vida segundo o Espírito Santo.

A Ordem confere ao diácono um sinal que não pode ser apagado, pois o configura ao Cristo servidor de todos. Por conseguinte, o diácono se torna um “imitador” da vida do Senhor, prolongando no mundo o serviço iniciado por Ele.

O candidato não é ordenado para o sacerdócio, mas para o serviço. Este está especificado na Constituição Dogmática Lumen Gentium, no nº 29, da seguinte forma: “administrar o Batismo solene, conservar e distribuir a Eucaristia, assistir e abençoar em nome da Igreja aos Matrimônios, levar o viático aos moribundos, ler a Sagrada Escritura aos fiéis, instruir e exortar o Povo, presidir ao culto e as orações dos fiéis, administrar os sacramentos e presidir aos ritos dos funerais e da sepultura”. E, ainda, de maneira sintética, o mesmo texto diz: “servem o Povo de Deus na diaconia da Liturgia, da Palavra e da Caridade”.

Novos sacerdotes — Também receberam o sacramento da Ordem, no grau do presbiterado, os diáconos Vanderson de Souza Gomes, 31 e Douglas Chrystiano Silva Souza, 32. A cerimônia aconteceu no sábado 22 de junho, pelas mãos de D. Edmílson Tadeu Canavarros dos Santos, bispo auxiliar de Manaus, em Rondonópolis (MT), no salão do Oratório Filhos de Dom Bosco, Paróquia São João Batista. Padre Vanderson começa o seu ministério na comunidade de Sangradouro (MT), como missionário salesiano entre os índios xavante. Já o padre Douglas inicia o seu ministério sacerdotal na comunidade de Meruri, entre os índios bororo.

 

Comments

comments

Comente!

Contato

  • +55 67 3312 6400
  • Rua Pe João Crippa, 1437
  • CEP 79002-390 - Campo Grande, MS