Início Comunicação Social Dom Vitório Pavanello completa 49 anos de ordenação presbiteral

Dom Vitório Pavanello completa 49 anos de ordenação presbiteral

79
0

Dom Vitório completa amanhã, 31 de julho, a graça dos 49 anos de sua ordenação presbiteral em 1966, em São Paulo–SP, com colegas, como o Pe. José Winkler, missionário vindo da Alemanha.

A solene ação de graças será com a Missa na TV Imaculada Conceição, às 07, desta sexta-feira.

A família e a entrada no Seminário

Filho do casal Filomena Pradi e Luiz Pavanello e sexto filho entre nove irmãos, Vitório Pavanello veio à luz no dia 20 de janeiro de 1936, em Presidente Getúlio – SC. Aos 13 anos de idade, em fevereiro de 1949, ingressou no Seminário Menor de Ascurra SC. Realizou as outras etapas da formação – ensino médio, “noviciado” e emissão dos primeiros votos nas mãos do Inspetor Salesiano, Pe. Antonio Barbosa, e curso de filosofia e letras e a “Assistência Salesiana” nas casas salesianas no estado de S. Paulo: Lavrinhas, Pindamonhangaba e Lorena.

Profissão religiosa e ordenação presbiteral

Em janeiro de 1963 fez a profissão religiosa definitiva e seguiu os estudos de Teologia, no Instituto Teológico Pio XI no bairro da Lapa, na Paulicéia. Concluindo-as, no dia 31 de julho de 1966, em São Paulo – SP, Dom João Resende Costa, Arcebispo de Belo Horizonte–MG, conferiu-lhe a ordenação presbiteral. Dessa forma o néo sacerdote Vitório assumiu o ministério, ora na capital, ora no interior.
Da diocese de Corumbá a arcebispo coadjutor de Campo Grande

Aos 09 de dezembro de 1981, o saudoso Papa João Paulo II nomeou-o Bispo Diocesano de Corumbá-MS. Pessoalmente convidando-o, Dom Antonio Barbosa, arcebispo de Campo Grande, conferiu ao novo bispo a ordenação episcopal, na Catedral diocesana de São Carlos–SP, no dia 31 de janeiro de 1982. Também, no dia 21 de março desse ano, lhe entregou o Báculo episcopal, sinal de haver tomado posse e pastorear como Bom Pastor o novo rebanho, e passou-lhe a presidência da celebração eucarística com as novas ovelhas corumbaenses.

Passados menos de três anos à frente da diocese, aos 26 de novembro de 1984, João Paulo II transferiu Dom Vitório Pavanello para o ministério de Arcebispo Coadjutor de Campo Grande MS. Ele o assumiu com a valiosa presença no dia 03 de fevereiro de 1985, dos Bispos do Regional Oeste I e Oeste II, dos presbíteros de Campo Grande e de ativa assembleia litúrgica de participantes de Corumbá e da Sé Metropolitana de Campo Grande.

Jubileus e renúncia de Dom Antonio Barbosa

Dom Antonio Barbosa já havia comunicado a João Paulo II que, no dia 10 de maio de 1985, completaria setenta e cinco anos de idade, data de seu nascimento no ano de 1936 e também que o dia 06 de dezembro de 1986 completaria Jubileu de Ouro Presbiteral. Assim informado, João Paulo II optou postergar a acolhida da renúncia, após a celebração e homenagens do inédito evento eclesial.
A doze de dezembro, solenidade de Nossa Senhora de Guadalupe, Padroeira da América, João Paulo II disse SIM ao pedido de D. Antonio, Dom Vitório sucedeu-o, em 1986, como segundo Arcebispo Metropolitano da Arquidiocese, cuja Mãe e Padroeira oficial é Nossa Senhora da Abadia. Ela é a primeira devoção mariana nela implantada como fruto do amor e da devoção dos mineiros vindos do Triângulo Mineiro e fundadores da atual metrópole.

Dom Dimas o sucessor e Dom Vitório o arcebispo emérito

Graças a Deus e eficaz intercessão da Mãe e Padroeira, Dom Vitório, após longo pastoreio, com alegria permanece aqui, como Arcebispo Emérito de Campo Grande, desde a data de 10 de julho de 2011, quando o Papa Bento XVI ao acolher o pedido de renúncia, nomeou a Dom Dimas Lara Barbosa, como terceiro Arcebispo Metropolitano de Campo Grande, ao transferi-lo do cargo de auxiliar da Arquidiocese do Rio de Janeiro.

Pe. Ubajara Paz de Figueiredo