Início Ação Social Eventos em Poxoréu celebram Dia dos Povos Indígenas e promovem inclusão e...

Eventos em Poxoréu celebram Dia dos Povos Indígenas e promovem inclusão e reflexão

1217
0
Foto: Reprodução Facebook

Na manhã da sexta-feira (19/04), quando se comemora no Brasil o dia dos povos indígenas, a Escola Estadual Padre César Albisete, em Poxoréu, realizou uma atividade marcante para a data: a 4ª Semana Conectada”. O evento, organizado pelo Professor Rander Souza, teve um propósito significativo para a escola. Destacando a importância do Dia dos Povos Originários, a ‘Semana Conectada’ contou com a participação de Maria Augusta, uma indígena engajada no curso técnico em enfermagem, e do diácono salesiano José Alves, cujo trabalho nas aldeias indígenas Xavantes trouxe luz à relevância desta data dedicada aos povos originários.

O Dia dos Povos Originários não é apenas uma comemoração, mas um momento de profunda reflexão sobre a cultura, história e contribuições dos povos indígenas ao redor do mundo. É uma oportunidade para reconhecer suas lutas incansáveis por direitos, preservação cultural e território. Neste contexto, destacamos a importância da inclusão, respeito e proteção dos direitos humanos dos povos indígenas, bem como a necessidade contínua de conscientização sobre os desafios que enfrentam, como a perda de terras, discriminação e marginalização”, declarou o organizador do evento.

Na parte da tarde, houve atividades no Centro Juvenil São João Batista, envolvendo adolescentes, crianças e jovens atendidos pela Obra Social Salesiana. O educador Claudio Teixeira ressaltou a importância de tornar conhecida a cultura e riqueza humana do povo xavante. “Foi muito importante, pois está aumentando cada vez o público indígena na cidade, sofrendo preconceitos e acabam excluídos. Tornar conhecido a cultura e riqueza humana do povo xavante ajuda a quebrar barreiras nas novas gerações e proporciona uma convivência saudável entre indígenas e não indígenas”, afirmou.

A coordenadora do Centro Juvenil Salesiano, Sra. Lucia Voltan, reconheceu que a atividade teve um impacto positivo entre os adolescentes e jovens atendidos. “Eu creio que o projeto Torcida pela Vida, além das atividades específicas, sempre ajuda a criança a refletir sobre algumas temáticas e sobre ações cidadãs. Então, o fato de falar dos indígenas é bom, até para conhecer os costumes deles e para criar mais inclusão”, declarou.