Início Família Salesiana RMG – Mamãe Margarida, figura-chave da vocação de Dom Bosco e do...

RMG – Mamãe Margarida, figura-chave da vocação de Dom Bosco e do início da obra dos salesianos

16
0

(ANS – Roma) – Em 25 de novembro, dia de seu nascimento no céu, a Família Salesiana do mundo relembra a figura de Margarida Occhiena, ou “Mamãe Margarida”, como centenas de crianças a chamavam quando ajudava seu filho Dom Bosco na época do primeiro Oratório de Valdocco. Declarada Venerável em 2006, pelo Papa Bento XVI, a mãe do fundador dos salesianos foi, sem saber, a primeira colaboradora da obra educativa dos salesianos, que reconhecem que a Congregação nasceu também através do seu acompanhamento e graças à sua contribuição ao Sistema Preventivo.

Margherita Occhiena nasceu no dia 1º de abril de 1788 em Capriglio, Piemonte. Aos 29 anos de idade, cinco de casamento, ficou viúva e precisou sustentar a família em meio à fome que assolava a Europa, cuidando também da sogra e de Antonio, filho do primeiro casamento do marido, além de criar seus próprios filhos, José e Joãozinho Bosco.

Mulher forte, com ideias claras e uma fé inabalável, como era a grande maioria das mulheres da época, era analfabeta e levava um estilo de vida simples; sempre cuidou da educação cristã dos filhos – que tinham personalidades muito diferentes uns dos outros – com humildade e bom senso. Ao mesmo tempo, era capaz de tomar decisões extremas, como quando mandou tirar Joãozinho Bosco de casa para manter a paz doméstica e oferecer a ele a oportunidade de estudar.

Ela acompanhou Dom Bosco em seu caminho para o sacerdócio. Foi ela quem interpretou o sonho que ele teve aos nove anos de idade e, aos 58 anos, deixou a tranquilidade de sua casa na aldeia para segui-lo em sua vocação entre os meninos mais pobres e abandonados de Turim. Por dez anos, mãe e filho uniram suas vidas aos primórdios da Congregação Salesiana.

Assim, ela foi a primeira e principal colaboradora de Dom Bosco e, por meio de seu constante cuidado amoroso, levou sua presença materna ao Sistema Preventivo. Assim, sem saber, tornou-se a cofundadora da Família Salesiana, capaz de formar tantas figuras de santidade, entre as quais Domingos Sávio e Miguel Rua.

Morreu em Turim, aos 68 anos, no dia 25 de novembro de 1856; uma multidão de jovens chorou por ela como se chora por uma mãe, acompanhando seus restos mortais até o cemitério. É por isso que a Família Salesiana celebra o Dia dos Cooperadores nesta data e também recorda todos os parentes falecidos da Família Salesiana.

Em 23 de outubro de 2006, o Papa Bento XVI declarou Mamãe Margarida Venerável e abriu o processo de beatificação porque “está provado que ela exerceu, de maneira heroica, as virtudes teologais da Fé, Esperança e Caridade, seja em relação a Deus como em relação ao próximo, bem como as virtudes cardeais da Prudência, Justiça, Fortaleza e Temperança, e as outras virtudes relacionadas a elas”. Mamãe Margarida passou, assim, de Serva de Deus a Venerável. Seu processo de beatificação ainda está em andamento.

Fonte: Misiones Salesianas –