Início Comunicação Social “P. Pasquale Forin” dá nome a rodovia estadual em Mato Grosso do...

“P. Pasquale Forin” dá nome a rodovia estadual em Mato Grosso do Sul

51
0

A rodovia estadual MS-433,que liga a Estação Ferroviária Albuquerque ao Entroncamento da MS-432 (Distrito de Albuquerque), no Município de Corumbá, passou a se chamar “Pe. Pasquale Forin”. O decreto com a homenagem póstuma ao salesiano foi publicada no Diário Oficial do Estado nesta quarta-feira (30/06) depois de ser aprovado pela Assembleia Legislativa e sancionado pelo governador Reinaldo Azambuja.

O projeto de autoria do deputado estadual Evander Vendramini (Progressistas) foi aprovado por unanimidade no dia 24 deste mês. “Quem o conheceu sabia que ele era um homem acima da religião, de ser padre; um ser humano maravilhoso. Sempre via o padre debaixo de uma barraquinha de palha acalentando o coração das pessoas que precisavam de atenção, com palavras, orações. Ao honrar o Padre Paquale Forin com esse projeto, estamos também homenageando todos os sacerdotes salesianos que atuaram e ainda atuam em prol da sociedade menos favorecida de Corumbá e Ladário, bem como aqueles que de alguma forma conviveram com o padre. Essa homenagem é mais do que merecida”, lembrou o deputado em entrevista ao site da Assembleia Legislativa de MS.

Padre Pasquale Forin faleceu no domingo, dia 10 de janeiro deste ano, solenidade do Batismo do Senhor, em Campo Grande. Tinha 84 anos de vida, 66 anos de vida religiosa, sendo que 61 vividos como missionário no Brasil, e 57 anos de sacerdócio. Nos últimos anos atuava como vigário paroquial no Centro de Apoio Infanto-Juvenil (CAIJ), no bairro Cristo Redentor, periferia de Corumbá (MS), mas desde 1987 trabalhava na “cidade branca”.

Salesiano, nascido na Itália, chegou ao Brasil em 1959. Foi coordenador de estudos e professor em Araçatuba, Ecônomo em Lucélia e Lins, Diretor do Instituto São Vicente e coordenador de Pastoral no Colégio Dom Bosco de Campo Grande. Também atuou como pároco em Campo Grande, na Paróquia São João Bosco entre os anos de 1981 e 1986.

 

Euclides Fernandes

DRT/MS 55/02