Início Comunicação Social Terceiro dia da Visita Conjunta da Região do Cone Sul

Terceiro dia da Visita Conjunta da Região do Cone Sul

85
0

O terceiro dia da Visita Conjunta do Reitor-Mor e seu conselho à Região do Cone Sul teve como destaque uma vistita de todos os participantes à cidade de Buenos Aires, mais precisamente às Casas Salesianas aonde chegaram os primeiros salesianos enviados por Dom Bosco em 1875.

No início do dia, logo depois da oração das Laudes, P. Justo Piccinini, inspetor de São Paulo (BSP) fez a saudação à assembleia.

Os trabalhos no período da manhã começaram com a apresentação do P. Miguel Ángel García, Conselheiro Geral para a Pastoral Juvenil, sobre “A animação vocacional e a pastoral juvenil como princípio inspirador e meta da pastoral juvenil salesiana”. Foram apresentados os possíveis cenários e microclimas em que a animação vocacional pode ser encontrada em cada Inspetoria. P; Miguel Garcia convidou a todos para criar e fortalecer a cultura vocacional, a realizar uma pastoral que leve à harmonia com o desejo de Deus para a vida de cada um.

Três momentos de um processo ficram evidentes: anúncio, proposta e discernimento vocacional. Ele encerrou a apresentação com os três caminhos para a cultura vocacional: rezar, viver e agir, que envolvem várias iniciativas para as Inspetorias, comunidades religiosas e Comunidades Educativas Pastorais.

Em seguida, P. Alfred Maravilla, Conselheiro Geral para as Missões, apresentou o tema “Rumo ao 150º aniversário da Primeira Expedição Missionária e além”. O principal objetivo da reflexão foi o de identificar a melhor maneira de aproveitar a realidade missionária desta região, uma vez que estamos às portas do 150º aniversário (a ser celebrado em 2025) da chegada dos primeiros missionários enviados por Dom Bosco a esta terra, e também como o voluntariado e a dimensão missionária podem ser uma oportunidade para a pastoral vocacional.

O Conselheiro Geral para as Missões insistiu que o espírito missionário salesiano é um elemento constitutivo de nossa identidade e uma parte essencial do coração da caridade pastoral sintetizada no “Da mihi animas…” que todo salesiano tem que viver. Ele também explicou que a função essencial da animação missionária é manter vivo o espírito missionário em cada irmão, cada comunidade salesiana, cada Comunidade Educativa Pastoral e cada Inspetoria. Ainda destacou que a animação missionária está ligada à animação vocacional que se realiza para todos os jovens.

P. Alfred Maravilla reforçou a ideia de que a vocação missionária salesiana é um chamado do Senhor, dentro de nossa vocação salesiana comum. É um espaço para o qual Deus convoca alguns salesianos. Ainda afirmou que deve ser valorizada também a contribuição do voluntariado missionário salesiano, animado em conjunto com a Pastoral Juvenil. E convidou a levar em conta o desafio da missão que as Inspetorias têm na região por causa dos apelos feitos pela Igreja em nível continental, a partir da reunião do CELAM em Aparecida.

Por fim, apresentou o caminho da Congregação no 150º aniversário da Primeira Expedição Missionária Salesiana, que terá como foco “dar graças, repensar, relançar o espírito missionário”, que visa manter vivo o espírito missionário de cada salesiano (ser), não apenas as atividades missionárias (fazer).

Após a fala do P. Alfred Maravilla o Reitor-Mor e todos os Salesianos participantes desta Visita Conjunta partiram para a Cidade de Buenos Aires. A primeira parada foi feita na Paróquia Evangelista San Juan e na Casa Salesiana de La Boca, onde o grupo foi recebido pelos alunos da escola. O Padre Diretor e Pároco Alejandro León deu as boas vindas e agradeceu a Maria Auxiliadora. Em seguida, convidou todos a visitarem o templo e conhecer a sua história, que começou em 1872 com uma pequena paróquia. Em 1877, após a chegada dos Salesianos à Argentina, e juntamente com Monsenhor Juan Cagliero, os Salesianos tornaram-se responsáveis pela paróquia, constituindo assim a primeira paróquia salesiana do mundo.

Estamos em um lugar salesiano muito significativo. Não muito longe daqui, é o lugar onde os primeiros salesianos desembarcaram. Esta é a história, as origens, que nos encorajam a permanecer fiéis”, comentou o Reitor-Mor, depois de depoistar algumas flores diante da imagem de Nossa Senhora Auxiliadora e agradecer a presença de todos: “Obrigado pela vossa bela e significativa presença. Sem crianças, jovens e educadores, seria apenas uma visita turística. As paredes têm valor, mas são vocês que dão a vida”, afirmou.

Ao final, recordou o exemplo de vida que Santo Artémides Zatti deixou e fez uma reflexão. “O nosso Deus continua a abençoar o seu povo e o seu mundo, e o faz de maneira simples; como simples coadjutor salesiano, que viveu a sua vida ao serviço dos doentes, frágil. É um convite às Inspetorias para continuarem entendendo que a santidade passa por um profundo sentimento do Deus da vida e depois ocorre o serviço, tão simples quanto Zatti viveu”, declarou P. Ángel.

Durante a tarde, o Reitor-Mor com a delegação dos Salesianos dirigiu-se à Basílica de Maria Auxiliadora, no bairro de Almagro, em Buenos Aires. Lá, a Salesiana Cooperadora Graciela Bordín acolheu a todos: “Esta é a igreja peregrina, aqui peregrinamos nossa vida de fé. Viemos ao encontro de Deus e dos braços da mãe. Aqui cada visitante pode sentir-se filho, amado e abençoado.”

Em seguida, a Salesiana Cooperadora convidou os presentes a visitarem a Basílica, iniciando o passeio pelo Camarín de la Virgen, seguindo pelo Batistério e, finalmente, até a Cripta, onde agradeceu ao Reitor-Mor pela visita: “Obrigado Dom Angel por ser nosso Dom Bosco presente e entre nós”, declarou.

Para encerrar o passeio da tarde, na sede da Casa Inspetorial, o P. Alejandro León apresentou as novas salas da sede de Buenos Aires, do Arquivo Histórico Salesiano, que que só pode ser viabilizado graças à colaboração do Reitor-Mor.

A última parada deste passeio foi a Igreja Pública Mater Misericordiae e a Casa Salesiana Dom Bosco, no bairro Congreso. Primeiramente, todos os participantes foram divididos em quatro grupos para poder visitar com maior conforto o Museu Histórico que funciona ao lado da igreja. O passeio pelo museu termina no templo, onde, antes da Missa, foi feita uma apresentação sobre a chegada dos primeiros salesianos e a expansão de toda a Obra de Dom Bosco por toda a Argentina.

O Reitor-Mor presidiu então a Missa. Em sua homilia, ele disse: “Todo o continente americano, de Ushuaia a Vancouver; de Montreal a Punta Arenas, está repleto de presenças salesianas. E, na verdade, isso não responde a um programa humano, não responde a um plano estratégico… É Deus quem está por trás deste grande sonho.”

E concluiu: “Que simbolismo forte! Tomara que nossos comunicadores saibam transmitir ao mundo inteiro que estamos juntos, o Conselho Geral com os Inspetores e irmãos do Conselho de todas as Províncias do Cone Sul. Estamos simplesmente celebrando a vida deste sonho que nós, com a ajuda de Deus, queremos continuar. Se assim for, continuem com o mesmo entusiasmo e paixão que muitos outros que nos precederam tiveram. Que o Senhor nos abençoe, que Dom Bosco continue a cuidar da sua Congregação e da sua Família Salesiana”.