Início Comunicação Social Família salesiana testemunha o exemplo deixado pelo P. Georg Lachnitt em mensagens...

Família salesiana testemunha o exemplo deixado pelo P. Georg Lachnitt em mensagens de despedida

106
0

Padre Georg foi um grande apaixonado pelos povos indígenas, de modo especial pela cultura e etnia Xavante. Aqui na nossa inspetoria, foi ele que junto com o saudoso Pe. Rodolfo Lunkenbein e com Pe. Gonçalo Ochoa iniciaram estudos e participaram de várias reuniões para poderem colocar em destaque a cultura indígena e suas tradições. A nossa inspetoria deve muito ao padre Georg e a UCDB quer agradecer, de modo especial, e parabenizar por tudo aquilo que fez com a documentação indígena. Ele nos deixa um grande legado, algo realmente ninguém pode pagar. So Deus mesmo para recompensar todo o trabalho e o que fez. Que Deus o recebe e o recomepsna por tudo que fez. Repito: um grande apaixonado pelos povos indígenas. Deu a vida por eles e tudo fez por eles.

P. José Marinoni, sdb – Reitor UCDB

 

Nossa eterna gratidão ao Padre Georg Lachnitt, que fez sua Páscoa neste dia 20 de abril. Gratidão por sua atenção, amor e dedicação aos Povos Indígenas e junto ao Cimi.

Desde que chegou ao Brasil, em 1972, vindo da Alemanha, sua terra natal, trabalhou com o povo Xavante, aprendeu sua língua e passou a entender, como poucos, a cultura deste povo. Entusiasta da educação, passou a atuar em apoio aos acadêmicos da Universidade Católica Dom Bosco – UCDB, em Campo Grande, principalmente com apoio às bolsas de estudo e permanência, e junto ao Núcleo de Estudos e Pesquisas das Populações Indígenas da UCDB – (NEPPI/UCDB). Através do NEPPI apoiou a elaboração e publicação de materiais produzidos e traduzidos para a língua indígena Xavante e Boe Bororo, ambos povos do Mato Grosso, onde teve grande parte de sua missão, mais de cinco décadas. Este trabalho foi reconhecido em 2013, quando recebeu o Prêmio Domingos Veríssimo Marcos, durante sessão solene na Câmara Municipal de Campo Grande. Demonstrou seu cuidado com a cultura tradicional destes povos, buscando também inculturar-se em sua inserção missionária. Durante alguns anos, também atuou nacionalmente, compondo o Conselho Econômico do Cimi, além de desdobrar-se em assessorias na temática da Teologia Índia. Sua presença constante nas aldeias, durante reuniões e assembleias do Cimi Regionais MS e MT, será gravada em nossos corações como sinal de testemunho de amor e doação. Nossa gratidão ao Padre Georg por todo bem e pelo seu testemunho de vida.

Com o povo Awe-Xavante dizemos: Hepari! Obrigado!

Secretariado Nacional do Cimi Regional Mato Grosso

 

Mi unisco alla preghiera di suffragio per il P. Georg Lachnitt che ebbi la gioia di rivedere lo scorso gennaio a Corumbà. Il Signore lo accolga nel suo Regno di pace con il suo amico e confratello padre Rodolfo e con Simao bororo

Don Pierluigi Cameroni, sdb

 

Mi unisco alla vostra preghiera per Padre Georg. Ringraziamo il Signore per la sua vita tutta donata con amore, solidarietà e grande animo missionario dando il meglio di sé per la causa degli indigeni. Il Signore lo accolga nell’abbraccio della Sua Misericordia e lo ricompensi per il tanto bene che ha fatto nel Suo nome. In comunione e preghiera.

Sr. Yvonne Reungoat, fma (Madre Superiora FMA)

 

Um grande irmão…Meu primeiro professor de liturgia, grande missionário entre os indígenas de etnia Xavante…Obrigado por esse sinal de Deus na vida dos povos…Deus o receba!

Roberto D’Luke Britto

 

Com o padre Jorge, mais uma grande árvore caiu e deixou uma grande clareira. Partiu para clareira celeste onde se encontrou com Rudolfo, nosso protomartir do Cimi. Peço alguns raios de luz para os povos indígenas. Fiquem conosco porque já caiu a noite. Amém. Aleluia!

P. Paulo Suess. Ass. Teol. CIMI.

 

Conheci-o altivo, senhor de uma Toyota bandeirante branca, falando de um mundo e de tradições estranhas, que não eram, por natureza, suas, mas que, uma vez assumidas, tornaram-se para ele quase que com um segundo e verdadeiro habitat. Tipo polêmico, bastante descontraído para um Deutscher Mann, de história sofrida desde o nascimento: pai morto na primeira guerra, família que perdeu tudo com a queda da Alemanha na segunda, deportando e realocado, sem dinheiro e sem lar. Considerado estrangeiro entre um os seus patrícios. Assim era Georg, aquele cujo sobrenome não o permitiria rir, Lach-nitt, mas que durante a vida cultivou uma alma feliz e dedicada àqueles que escolheu e foi chamado a amar.

Vai em paz velho amigo! Entre, glorioso, na sagrada aldeia celeste, na qual, o seu nome já está escrito entre os imortais.

Ir. Gillianno, sdb.

 

Grande missionário salesiano da Liturgia entre o indígenas do MT e MS, sobretudo entre os Xavante. Doutor em Liturgia pela Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção, em São Paulo, com a esplêndida tese “Símbolos na iniciação cristã entre os Xavante”, de cuja defesa tive a honra de fazer parte da banca. Descanse em paz.

Fr. José Ariovaldo da Silva, OFM

 

Recebo com grande, mas iluminada pela Fé na Páscoa de Jesus, a notícia do falecimento do meu querido colega Pe. Jorge Lachnitt, meu colega aqui na Lapa por bem três anos (1967-1969). Acima, o Pe. Elias Roberto,mostrou alguns aspectos de sua grandeza: grande missionário, estudioso apaixonado pela cultura xavante. dedicado pesquisador, escritor, conferencista e propagador da causa indígena… Foi também grande músico… Foi o que mais honrou, com sua arte e técnica, o pequeno órgão de tubos que temos na Capela daqui da Lapa…Dava gosto escutá-lo executando as Fugas, Toccatas, Partitas, Corais e tantas outras obras sacras de Johan Sebastian Bach e outras celebridades… Que o Senhor lhe dê a recompensa do Servo Bom e fiel que serviu a vida toda nossa Igreja aqui no Brasil, sobretudo no Mato Grosso. Requiem aeternam dona ei Domine et Lux perpetua luceat ei… Requiescat in pace. Amem.

P. Luiz Alves de Lima, sdb, Instituto Pio XI.

 

Muito querido o Pe. Jorge, e que seu testemunho de compromisso incondicional aos povos indígenas seja inspiração para nós nestes tempos difíceis. E que interceda por nós para seguir na luta  na defesa dos direitos e territórios indígenas.

Ir. Sará Sanchez CIMI GO-TO

 

Descanse em paz, nosso grande missionário, liturgista indigenista e amigo na caminhada com os povos indígenas. Ele estava também com o trabalho de buscar material, depoimentos dos mártires pe. Rodolfo e o índio Simão bororo. Deus o acolha!

Ir. Silde Coldebela, PDDM

P. Georg dava aulas da língua xavante, ajudando os salesianos e as salesianas no desafio que a todos nos toca: mergulhar no universo das línguas Indígenas dos povos com os quais trabalhamos.

Giba. Gilberto Vieira. Coord. CIMI MT

 

Muito querido, P. Jorge, o sentimento de sua perda é  muito forte pois você foi para nós incentivo  ao compromisso Cimiano para com os Povos Indígenas! Quantas lições de vida missionária você nos deu! Solidariedade a toda a Missão salesiana!!!

Ir. Elisabeth Rondon. CIMI MT, Neta de Rondon

 

Um grande salesiano, apaixonado pela juventude, pelo estudo e pelo trabalho missionário entre as populações indígenas, de maneira carinhosa o povo Xavante. Descanse no Céu Salesiano, P. Georg!

Ir. Tarley Nunes, sdb

 

Quando morei em São Marcos, tive a oportunidade de estar com ele, muitas vezes. Todos os encontros de missionários SDB – FMA, Lauritas, ele estava presente. Recordo com carinho e gratidão do período da Páscoa em 2009 quando fomos juntos para as Aldeias do Parabubure, Areões etc… Visitamos muitas pessoas, muitas comunidades. Foi um período de muitas graças, de muitas bênçãos, de aprendizado missionário. Que do céu, ele interceda por nós.

Ir. Ivone Goulart Lopes, FMA

 

Grande Pessoa. Rezarei por ele. Que Deus lhe conceda participar plenamente do Jardim salesiano. Do céu, P. Jorge, reza e intercede por nós.

Ervino Martinuz

 

Grande missionário, nosso padre Jorge. Nos últimos meses eu vinha recebendo informação sobre o agravamento de sua doença. Desde que sofreu um acidente, enquanto dirigia, vivia muito angustiado por não poder mais realizar suas viagens. Como lembrou Rebeca, sempre contamos com sua participação na AELAPI e em todos os eventos da ANDRI.

Saulo Feitosa Ferreira. Ex séc. Nac. CIMI.

 

Um farol a indicar caminhos. Um exemplo para os religiosos, sobretudo aos jovens. Eis um que ofereceu a vida gratuitamente pelos irmãos indígenas. Descanse, em paz, querido irmão!

Edinaldo Pereira

 

Excelente salesiano comprometido com o carisma de Dom Bosco. Admirável.

José Carlos Taveira, professor UCDB

 

Pe. Georg foi um pai para mim, ele me dava carona da UCDB para o Colégio Dom Bosco, e sempre nessas idas e vindas partilhava sobre a sua história, de quando veio para o Brasil, de sua ida como missionário nas missões indígenas, o seu convívio com o servo de Deus Pe. Rodolfo, muitas histórias que guardarei até o dia do meu descanso. Peço, Padre que aí do céu o senhor possa estar vendo este filho seu.

João Victor Maciel, pré-noviço

 

Nossa turma no céu aumenta. Grande Jorge, grande educador, mestre em inculturaçao, companheiro na AELAPI e Teologia Índia. Jorge amigo que partilha um amor profundo para os povos que nos servimos.

Ir. Roberta Lee Spires.  CIMI BELÉM.

 

Sou grato a Deus, poder ter me concedido  a graça de conviver com o Pe. George na missão cimiana junto aos Povos indígenas, foi para mim um aprendizado.

Sebastião Carlos Moreira. CIMI MT.

 

Vai deixar saudades, Pe Jorge! Foram muitas assembleias regionais sempre com sua presença, desde o início do Cimi MT. Obrigado pelo trabalho que você realizou! Deus te guarde com carinho!

Nice e Luis,  CIMI MT. Casal, desde 1972.

 

Pe. Jorge foi muito  importante na rearticulação das atividades do Cimi MS. Ele nos deu apoio e suporte quando todos na região – pastorais, CNBB, entidades, se colocaram contra a Direção do Cimi, por ocasião da intervenção naquele regional. Ele foi acolhedor e prestativo. Contribuiu muito nas discussões da Teologia Índia e nos ajudou em questões administrativas, quando estava no Conselho Fiscal do Cimi. Agora, esse querido amigo, é acolhido num lugar de paz e amor eterno junto do Pai.

Roberto Liegbott. Ex séc. Nac. CIMI Hoje CIMI SUL

 

Ele foi um missionário destemido, dedicado, amigo do nosso povo Indígena e ajudou com seus estudos a Missionários e aos Povos Indígenas. Deus o acolha numa eternidade feliz!

Pare ele nossas orações e para você, nosso agradecimento.

Ir. Maria Lúcia Barreto, fma

 

O nosso muito obrigada ao P. Georg por todo o bem realizado de um modo muito especial com os povos indígenas. Contem com as nossas orações. Que o Senhor o recompense generosamente. Expresso os sentimentos das Irmãs – FMA da Inspetoria Nossa Senhora da Paz.

O nosso abraço fraterno e nossas orações ao Inspetor, Pe Ricardo e aos salesianos dessa Inspetoria.

Ir. Antonia Brioschi, fma

Sei que o Padre Georg já foi recebido por Aquele a quem consagrou sua vida. Rezemos pelo seu descanso e pelo de tantas pessoas vítimas do coronavirus.

Ir. Maria de Lourdes Becker, fma

 

Seguiremos rezando pelo descanso eterno do P. Georg. e ao mesmo tempo agradecendo pela vida dedicada deste grande missionário à causa Indígena.

Ir. Ivone Calvo Marcuzo, fma

 

Lamentamos a partida de Pe. Georg, porém fica o belo testemunho de missionário que
tanto contribuiu para a pesquisa e a ação missionária salesiana. Somos muito gratas a Deus pelo dom da sua vida. Descanse em PAZ!

Ir. Carmelita Conceiçao – Inspetoria Laura Vicuna- Manaus.

  

Ci uniamo a voi in preghiera per il caro Padre Georg un grande missionario tra gli indigeni. Con gratitudine lo affidiamo al Padre perché l’accolga nella Pasqua eterna.

Sr. Piera Cavaglià, fma  (segretaria generale dell’Istituto FMA)