Início Comunicação Social Comunidade de Cuiabá se despede do P. José Winkler

Comunidade de Cuiabá se despede do P. José Winkler

68
0

Uma grande procissão se formou para a despedida do P. José Winkler na tarde desta sexta-feira (05/02) em Cuiabá. Alunos, ex-alunos do Colégio São Gonçalo e paroquianos da Comunidade Nossa Senhora do Bom Conselho acompanharam o sepultamento do sacerdote salesiano no Cemitério Parque Bom Jesus de Cuiabá. O diretor do Colégio São Gonçalo, P. Hermenegildo da Silva, fez a bênção de exéquias. Ao final, os fiéis soltaram balões em despedida ao padre missionário.

Padre Josef Winkler nasceu no dia 13 de junho de 1935, na Alemanha, região de Sudetos, colonizado no século XII. Viveu parte de sua infância em uma simples casa no Vilarejo chamado Lexen. Seus pais Maria e José o educaram com princípios morais e da igreja católica desde a infância. É o terceiro de quatros filhos.

Conviveu de perto com a 2ª Guerra Mundial. Conheceu e começou seus estudos com os salesianos em Benedikbeurn (Benetitboian), concluindo o aspirantado em Buzheim (Bucsaim), onde conheceu o padre Rodolfo Lunkenbein.

Fez o noviciado em Ensdorf (Endsdorf), realizando a sua primeira profissão religiosa no dia 15 de agosto de 1956. Logo que terminou sua profissão, o salesiano Josef Winkler recebeu o convite de ser missionário no Brasil.

Em 1957 partiu na embarcação chamada “Augusto” desde Genova, Italia, com mais três colegas com destino a Santos, chegando em 28 de outubro.

De 1958 a 1960 estudou filosofia em Campo Grande. Concluiu seus estudos teológicos em 1963 na cidade de São Paulo, onde foi ordenado sacerdote na manhã do dia 31 de julho. Presidiu sua primeira Missa Solene na Alemanha no natal de 1966.

Os primeiros 10 anos de sacerdócio foram como coordenador de estudos, ecônomo e diretor na cidade de Araçatuba-SP. Foi nomeado inspetor da Missão Salesiana de Mato Grosso e exerceu dois mandatos, o primeiro de 1977 a 1983 e o segundo de 1996 a 2002. No intervalo dos mandatos como inspetor, realizou uma missão em Angola por 10 anos, assumindo a Cáritas nacional. Ao retornar ao Brasil dedicou seu valioso serviço com o povo Bororo de Meruri (MT).