Início Artigo Solidariedade – uma prática cotidiana

Solidariedade – uma prática cotidiana

270
0

Silvia Helena Maia          
Amor Exigente

 

À procura pela pasilvia_maialavra “solidariedade” no dicionário Aurélio, encontraremos: laço ou vínculo, apoio a causa, sentido moral que vincula o indivíduo à vida, aos interesses de um grupo social, duma nação, ou da humanidade.

Agora iniciaremos a nossa reflexão sobre o tema, enquanto cidadãos, conscientes de nosso papel social, responsáveis pelos nossos atos, como praticar a Solidariedade?

Vamos primeiro buscar no âmago de nossa existência o que nos conduz na caminhada existencial, a luz maior, a espiritualidade, que vai além da religiosidade.

A espiritualidade é o comprometimento com o “bem”. Quando fazemos o bem, com certeza estamos movidos por Deus. O bem está presente em pequenos gestos tais como: a solidariedade, a compaixão, a compreensão, a alegria, é isso que precisamos aprender a valorizar.

É na solidariedade que encontramos o espaço para que possamos ajudar o outro e então sentimos o quanto somos ajudados. Mas somente quando se aproxima o Natal, as festas de final de Ano é que esse sentimento de ajuda ao próximo se aguça. Sabemos que o espírito natalino nos aproxima, queremos presentear, fazemos uma longa lista de presentes, ajudamos a obras de caridade, ONGs, igrejas, prometemos que no próximo ano faremos mais.

Missão cumprida! Fizemos a nossa parte estamos satisfeitos, mas um novo ano se inicia e a vida segue seu ciclo, as pessoas têm necessidades diárias, de afeto, alimentação, moradia, transporte, trabalho e tantas outras. E novamente só vou pensar no outro no próximo final do ano?

Como colocar em nossa vida como prática diária essa ação? Poderíamos atender a mais solicitações de ajuda ou já estamos tão comprometidos com nossos afazeres que não dá tempo, não temos recursos materiais, emocionais, sempre arrumamos justificativas.

Convido a você que desenvolva essa transformação em sua vida, você que deseja um mundo melhor para todos, seja solidário todos os dias, um gesto de amor ou uma doação espontânea pode mudar o seu dia. Vamos prometer e fazer o nosso dia a dia melhor e abençoado por Deus, passo a passo, melhorando nossa espiritualidade praticando a solidariedade, enxergando nossos irmãos “invisíveis” a tantos olhares e que necessitam de nossa ajuda de forma assídua e constante, deixemos de lado momentos anuais e vamos conclamar a todos que exercitem o amor, a doação material de forma sistematizada, nessa partilha universal onde o céu é o limite.

“Por vezes sentimos que aquilo que fazemos não é senão uma gota de água no mar. Mas o mar seria menor se lhe faltasse uma gota” (Madre Teresa de Calcutá)