Início Paróquias Salesiano celebra Corpus Christi entre os encarcerados

Salesiano celebra Corpus Christi entre os encarcerados

366
0
P. Kian leva Jesus Eucarístico aos detentos da Gameleira, em Campo Grande. Foto: PASCOM PNSA

O Padre Augusto Issao Kian, vigário da Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora, em Campo Grande, não participou da festiva celebração de Corpus Christi pelas ruas da capital de Mato Grosso do Sul neste ano. Acompanhado de alguns leigos, ele foi até o complexo penitenciário da Gameleira, onde funciona o presídio semiaberto, para celebrar a presença real de Jesus Cristo no sacramento da Eucaristia.

Levar o Santíssimo Sacramento aos presos é uma prática que encarna os princípios de misericórdia, reconciliação, dignidade humana e inclusão comunitária, que são fundamentais na doutrina católica. Esta ação pastoral demonstra o compromisso do salesiano com a Igreja para levar o amor e a graça de Deus a todos os indivíduos, independentemente de sua condição ou circunstância.

O Complexo Penitenciário da Gameleira foi concebido como parte de um esforço para modernizar e ampliar a capacidade do sistema prisional de Mato Grosso do Sul. A construção do complexo aconteceu pela necessidade de aliviar a superlotação em outras unidades prisionais e melhorar as condições de encarceramento. As obras do complexo começaram no início dos anos 2010 e envolveram um investimento significativo tanto do governo estadual quanto federal.

Inaugurado em 2015, o complexo é composto por várias unidades prisionais, cada uma destinada a um perfil específico de detentos, como presos em regime fechado, semiaberto e feminino. O projeto visava não apenas aumentar a capacidade de alojamento de detentos, mas também implementar melhores condições de segurança, infraestrutura e programas de ressocialização.

A Igreja Católica acredita na dignidade intrínseca de todos os seres humanos, independentemente de suas ações passadas. Levar o Santíssimo Sacramento aos presos é uma maneira de reafirmar essa dignidade, mostrando que eles são amados por Deus e têm valor.

A prática é um ato de misericórdia, seguindo o ensinamento de Jesus sobre o cuidado com os mais marginalizados da sociedade: “Estive na prisão e foste me visitar” (Mt 25,36).

A Eucaristia é um sacramento de cura e reconciliação. Para muitos presos, receber o Corpo de Cristo pode ser um passo significativo no processo de arrependimento e renovação espiritual. O Sacramento Eucarístico também oferece esperança aos encarcerados, proporcionando uma conexão espiritual profunda e a possibilidade de transformação pessoal através da graça de Deus.