Início Artigo “Dom Bosco e sua grande visão do ambiente como novo habitat da...

“Dom Bosco e sua grande visão do ambiente como novo habitat da comunicação”

54
0

(ANS – Roma) – Continuando a série de dez artigos do P. Gildasio Mendes, Conselheiro Geral para a Comunicação Social (CS), sobre o tema “Dom Bosco e a realidade digital e virtual”, propõe-se hoje a nona contribuição. Neste novo artigo, a atenção se dirige para «Dom Bosco e sua grande visão do ambiente como novo hábitat da comunicação”.

Gostaria de começar este novo artigo da série “Dom Bosco e a realidade digital e virtual” com algumas premissas que compõem a base deste texto e o conteúdo das ideias que pretendo desenvolver. O objetivo é esclarecer os fatores que que tornam o ambiente humano e cultural essencial para a comunicação digital e de que maneira podemos identificar o conceito de ambiente no sistema educativo de Dom Bosco.

O que é a Internet? Um ambiente cultural!
O que são as mídias sociais? Um hábitat humano!
O que move o mundo virtual da internet e das redes sociais? Os rituais humanos e culturais!

Basicamente, quando navegamos pela internet e nos conectamos às mídias sociais, estamos expressando os rituais humanos e culturais.

Qual é o objetivo? Desejo apenas abrir uma janela que nos permita ampliar a nossa perspectiva sobre o digital no contexto das grandes transformações tecnológicas, uma vez que a Internet e as mídias sociais dizem respeito ao meio ambiente, às relações humanas e ao networking de grupos ou de comunidades. Em outras palavras: costumamos nos comunicar segundo nossos rituais humanos e culturais! Para isso, precisamos de algumas premissas.

Os rituais têm um significado social, cultural e religioso. É importante considerar que eles não dizem respeito apenas aos ritos religiosos, como por exemplo o rito do batismo, para a Igreja Católica.

Eles também estão relacionados às expressões humanas mais básicas, como pronunciar uma sequência de palavras, realizar gestos ou agir de acordo com certos hábitos, como comer, dormir, trabalhar, vestir-se e assim por diante. Praticamos rituais relacionados ao nascimento de uma criança e, basicamente, todas as sociedades têm formas próprias de celebrar casamentos, vitórias esportivas, festivais de dança e música ou funerais.

As pessoas expressam suas crenças, valores e regras por meio de rituais. Os antropólogos acreditam que os mesmos representam práticas importantes e revelam elementos valiosos sobre as pessoas, suas culturas, suas histórias e suas crenças. Os rituais constituem a expressão concreta e material destas crenças, ideias e sentimentos das pessoas, sendo transmitidos de geração em geração.

Os rituais também representam maneiras autênticas e comuns de comunicar. Por meio de palavras, gestos, símbolos, códigos e sons, as pessoas se comunicam e se entendem. Num jogo de futebol, por exemplo, os torcedores dos dois times valem-se de símbolos e rituais para se comunicar entre si (bandeiras, hinos, etc.).

Esta premissa é fundamental para compreender que todas as dimensões da comunicação – interpessoal, social, comunitária, institucional – têm suas raízes fundamentais na pessoa humana e são incorporadas à cultura e aos rituais que revelam a força e a riqueza da humanidade, enredada com as pessoas e os grupos.

Esta visão do digital, além disso, que parte de um conceito mais amplo do ser humano e de seus rituais culturais, ajuda a evitar dualidades entre pessoa e digital, realidade física e realidade virtual, on-line e off-line.

Esta visão mais ampla, a “virtualização”, partindo de um ponto de vista antropológico, oferece um modo mais vasto de interpretar nosso tempo e nosso espaço virtual e os motivos que nos levam a querer utilizar a Internet o tempo todo (questão de que não vamos tratar por ora).

Gostaria apenas de voltar ao conceito dos rituais, para aplicá-lo à Internet.

O que é a Internet do ponto de vista do ritual? Pessoalmente, acredito que a Internet seja uma vasta teia de rituais humanos e culturais; um ambiente humano e cultural no qual as pessoas vivem e compartilham seus rituais. Na Internet podemos encontrar arte, gastronomia, política, moda, esportes, música, cinema, comércio, relacionamentos, informações sobre a vida cotidiana, conteúdos religiosos, economia, amor, vida e morte.

Ao falar de moda, comida, música ou jogos, estamos a falar de aspectos antropológicos, ou seja, de maneiras de perceber as pessoas no contexto de suas culturas. Quando as pessoas utilizam as mídias sociais para contar o que ocorre durante a guerra ou para falar de política, doenças, impostos, fofocas ou música, estão expressando seus sentimentos, seus pensamentos, seus desejos, suas fantasias, sua atitude em relação ao que acontece na vida delas.

Portanto, acredito que precisamos considerar a Internet e as mídias sociais como parte integrante da nossa vida, como expressão e extensão dos rituais humanos. A partir destes rituais e destes elementos antropológicos e culturais, podemos compreender melhor o que acontece no universo da comunicação e no mundo em transformação.

Assim sendo, a Internet é um vasto mundo de rituais humanos e culturais!

Mas talvez você esteja a se perguntar: e a tecnologia, os bits e os bytes, os aplicativos, os protocolos da internet, a fibra ótica, os satélites? A velocidade da Internet não está relacionada com a tecnologia? Então, o que os rituais humanos e culturais têm a ver com isso?

É claro que a tecnologia cumpre um papel fundamental na Internet. Poderíamos dizer que a tecnologia também faz parte da cultura. Entretanto, não cabe, neste momento, entrar em tão complexa questão. Basicamente, podemos dizer que os rituais humanos e culturais estão associados à tecnologia, e não em contraste com a mesma! Os seres humanos criaram a tecnologia e esta outrossim está associada a outras invenções, como a eletricidade, a rede telefônica ou as artes, por exemplo.

Simplifiquemos, assumindo que o que compõe a Internet são os rituais e as relações humanas. Sem estes, a Internet estaria vazia!

Como a Internet e as mídias sócias são compostas por seres humanos, todas as questões postadas, discutidas e compartilhadas na Internet se relacionam com as condições e realidades humanas!

Mais recentemente, dois segmentos de pesquisa estão  crescer nesta área: a etnografia digital e a netnografia. Os pesquisadores estão procurando perceber a internet e a comunicação digital a partir da perspectiva dos rituais. Isto significa que a Internet e o digital não dizem respeito apenas à tecnologia, mas a algo mais profundo e significativo.

Partindo desta visão da Internet como rede humana e cultural, podemos buscar um ponto de diálogo entre o digital e a visão de Dom Bosco do nosso ambiente ritual.

Como se mencionou anteriormente, os rituais humanos e culturais permitem que as pessoas se comuniquem entre si, expressem suas ideias, seus sentimentos, criem vínculos e realizem projetos juntos. A educação, por exemplo, é uma expressão de rituais: ela implica em ir à escola todos os dias, estudar determinada matéria, respeitar regras específicas na escola, obedecer aos procedimentos das provas, participar da cerimônia de formatura, as relações com o professor ou com os colegas, etc.

É interessante notar que os rituais geralmente envolvem o ambiente e outras pessoas. O ambiente é fundamental para a prática dos rituais. O ritual, por sua vez, exige o outro, cria relações e participação, estabelece vínculos afetivos, desperta o sentimento de pertencimento, permite que as pessoas expressem sua liberdade, suas emoções, suas palavras, seus valores. Tomemos como exemplo uma cerimônia de casamento. Normalmente a celebração envolve família e amigos. Pensemos numa festa religiosa ou civil: ela demanda um determinado ambiente, símbolos, música, um motivo para a comemoração, trajes, comportamentos adequados, etc.

O ambiente da comunicação é, em grande parte, constituído por relações humanas! Não se trata apenas de um lugar geográfico; está associado a relações humanas. Assim como ocorre numa família, onde é o amor entre os pais e seus filhos que cria o ambiente, o sentimento de pertencimento é o que une a todos como família.

O ambiente é como um grande mosaico, composto de diversos elementos: espaço físico, ambientes específicos, pessoas, atividades, valores, símbolos e relações humanas.

Concentremo-nos agora em Dom Bosco e em como ele criou um ambiente ritual muito eficaz para a educação dos jovens.

Em que se baseia o Sistema Educativo de Dom Bosco? Em vários elementos:  Dom Bosco queria um grande espaço para seus jovens, para que eles pudessem correr, conversar, brincar e socializar uns com os outros. Ele também queria que os educadores estivessem sempre presentes, como amigos, para motivar, auxiliar e estabelecer vínculos. Ele criou, por fim, uma espécie de rede de relacionamentos! Um ambiente no qual os jovens podiam se expressar por meio de seus ritos humanos, culturais e religiosos (língua, música, esporte, religião, amizade, trabalho e estudo).

Uma rede simples, mas rica de símbolos (liturgia), sons, música, teatro, jogos, símbolos cristãos (Via-Sacra, devoção a Maria, Eucaristia, etc.).

Naturalmente, o ambiente ritual de Dom Bosco envolvia estudos a serem cumpridos, habilidades profissionais a serem aprendidas, alimentos a serem obtidos e exigia um lugar para dormir, para viver, para se querer bem! Elementos todos que se podem definir rituais humanos! Valores religiosos e culturais humanos, códigos, símbolos, linguagem para comunicar.

Ciente de que os rituais constituem uma parte intrínseca do ser humano, Dom Bosco empregou diversas atividades artísticas, criando uma espécie de sistema de comunicação, permitindo que os alunos fizessem experiências vendo (leitura), ouvindo (música), tocando (jogos), degustando (alimentos).

O oratório é um ambiente composto de vários elementos: por exemplo, os espaços, as salas para estudo e aprendizagem de habilidades, a igreja, o pátio, as pinturas, a presença de educadores entre os jovens, os jogos, a música.

Para Dom Bosco, o ambiente é essencial para a educação, pois representa o lugar privilegiado onde se experienciam os valores humanos e cristãos, o lugar onde se expressam os ritos humanos e culturais.

Neste ambiente, Dom Bosco habilmente introduziu a religião, o afeto, o diálogo, a presença amiga dos educadores entre os jovens, o ambiente familiar, Deus e Maria SS. Podemos dizer que o ambiente forma, educa e incentiva a comunicação.

A Internet é, portanto, um ambiente. E o digital é um hábitat. A comunicação no ambiente digital é realmente uma expressão de rituais humanos e culturais. Isto explica por que as pessoas se conectam diariamente por seus smartphones à internet para ler notícias, postar vídeos, ouvir música, assistir filmes, conversar nas redes sociais, anunciar e expressar o que faz parte dos rituais humanos.

Neste universo comunicativo, constituído de rituais humanos e culturais, insere-se a pessoa humana, com suas virtudes e vícios. Este é um fato que não se pode ignorar. A internet não é um lugar neutro, pacífico e uniforme. Ela também representa a realidade da vida, com todas as suas dores e esperanças.

Humanizar a Internet e evangelizar nas redes sociais, hoje, significa sobretudo conhecer e reconhecer a natureza humana e seus rituais associados aos aspectos sociais, culturais e religiosos. Ao compreender a realidade cultural e ritual de tais ambientes, podemos dialogar com as pessoas para que possam, a partir de seu lugar cultural e ritual, promover a justiça, o respeito, o diálogo, a paz e a fraternidade.

Dom Bosco foi um educador capaz de compreender sua época e, ao compreender a realidade humana, cultural e ritual, soube dialogar com os seus jovens apresentando-lhes, no seu próprio ambiente, a importância de educar à vida, aos outros, a Deus.