Você está em:    Home      Artigos      O otimismo salesiano

O otimismo salesiano

9 de janeiro de 2015
Published in Artigos

 Pe. Tarcizio Paulo Odeli
Delegado  para Comunicação Social da Inspetoria Salesiana São Pio X (BPA)

Em que consiste o espírito salesiano?
Afirmamos que consiste no otimismo, e vamos buscar compreender sua origem e características.

Acerca deste otimismo, São Francisco de Sales, porém, nunca usou esta palavra, pois ela entrou na língua francesa somente no séc. XVIII para designar a orientação filosófica característica do pensamento de Leibniz. M. With diz que devemos duvidar daqueles que acham que Sales precedeu a Leibniz. Mas, deixando de lado as questões filosóficas, vamos tentar entender o otimismo salesiano.

Quando estudava em Paris, Francisco teve contato com a teologia pessimista, que entre tantas coisas pregava a predestinação. Ele próprio, com 20 anos, passou por uma grande crise de predestinação. Ao sair vitorioso desta crise, diz Lajeunie, ele colocou as bases do seu otimismo em uma passagem que iluminou sua vida. No Evangelho de João, leu: “Pois Deus não enviou o Filho ao mundo para condená-lo, mas para que o mundo seja salvo por ele” (Jo 3, 17). Deste momento em diante, Francisco apresenta o rosto de um Deus bom, que gratifica todas as suas criaturas com a sua providência, um Deus atraente, comunicativo, um Deus que é amor! A tudo isso chamamos de otimismo salesiano.

Raízes

Esse otimismo salesiano tem suas raízes na casa paterna. Sua jovem mãe resolveu educá-lo para Deus. Ela implantou nele as virtudes fundamentais da sinceridade, generosidade, obediência, compaixão, respeito pelos pobres, pelas famílias e pelo amor supremo de Deus. Do pai ele aprendeu a honestidade.

Mais tarde ele busca na Bíblia aquilo que poderíamos chamar de “o otimismo cristão”. No início do livro sagrado se fala da criação. No final de cada dia, o Criador, contemplando sua obra, não só afirma que foi Ele que criou, mas que é boa. No final do sexto dia, “Deus contemplou toda a sua obra, e viu que tudo era muito bom” (Gen 1, 1-31). Outra característica que precisamos ter presente neste texto é o fato de que Deus criou o ser humano à sua imagem e semelhança. A raiz de toda a espiritualidade salesiana, do humanismo e do otimismo, brota dessa frase: somos imagem e semelhança de Deus.

O humanismo salesiano leva as pessoas a terem uma visão otimista da vida, da realidade e das pessoas. Crê na pessoa concreta, na possibilidade de superação de seus próprios defeitos, nas virtudes humanas. Sales diz que precisamos ter paciência para, pouco a pouco, ir corrigindo os nossos defeitos, nossos maus costumes, aversões, mau humor “porque esta vida é uma luta”.

Viver o presente

Outro ponto muito importante do otimismo salesiano é viver o presente. Ele afirma: “Façamos um firme e geral propósito de querer servir a Deus com todo o nosso coração e nossas vidas, e assim não nos preocuparemos com o amanhã. Pensemos somente em fazer o bem no dia de hoje. E quando chegar o dia de amanhã, que também se chamará hoje, poderemos pensar nele. Para isto também é necessário ter uma grande confiança na Providência e no tempo”. Contrário às espiritualidades da sua época, Francisco valoriza o corpo e não pede grandes esforços ascéticos de mortificação e jejum.

Outra característica do otimismo salesiano é a alegria. No seu tempo se discutia se um religioso poderia ou não rir. Para ele a alegria “é como o ar que se respira”. Escrevendo a Madame Brülart, ele diz que “Deus é o Deus da alegria”. Somos chamados continuamente a fugir da inquietação e da tristeza. Francisco de Sales sabia muito bem que um espírito alegre é dom valioso para aqueles com os quais se vive e para aqueles que o rodeiam. Estava convencido de que quem serve o Senhor com alegria não será perturbado e nada poderá destruir sua paz interior.

Dom Bosco

A Família Salesiana de Dom Bosco é chamada a viver o otimismo salesiano. As Constituições dos Salesianos dizem, no número 17 que “o SDB acolhe os valores do mundo e evita lamentar-se do tempo em que vive; conserva tudo o que é bom, especialmente quando agrada aos jovens”. Dom Bosco, atento às realidades do seu tempo, percebeu e captou o desejo de felicidade presente nos jovens. Sempre mostrou aos jovens que Deus é a fonte da verdadeira alegria, demonstrando isso no prazer de estar juntos no meio dos jovens no pátio, nas festas e no clima de família que reinava no oratório.

Por isso, quem é da Família Salesiana de Dom Bosco cultiva algumas atitudes que manifestam alegria e otimismo: confiança na vitória do bem, no apreço pelos valores humanos e na educação para as alegrias do dia a dia. Vive sempre alegre e testemunha por meio de palavras e obras o “Evangelho da alegria”.

Sem otimismo não conseguiremos tornar a sociedade e as pessoas melhores. Uma visão de vida e de mundo com base no otimismo sadio favorece o alcance das metas que em particular ou em conjunto se quer atingir. Favorece inclusive a nossa saúde psíquica, física e espiritual. Quem é otimista aprende a evitar a depressão, a ansiedade e outros males do mundo moderno. Estar aberto para “pensar o que é bom” reduzirá as dificuldades e fará aumentar as oportunidades, inclusive em um sadio relacionamento com os outros.

Francisco de Sales é otimista porque é um homem de fé, porque acredita em Deus Pai que criou um mundo fundamentalmente bom, e porque acredita também com paixão, que a história humana é uma história de salvação e redenção.

Olhar o mundo, a realidade, a história com um sadio otimismo é o primeiro desafio aberto às comunidades cristãs, se realmente queremos ser portadores de esperança. Como em São Francisco de Sales, não se trata de ignorar ou negar o que existe de negativo e de pecado na realidade. Trata-se de sermos capazes de ver, também nela, todo o positivo que encerra, todas as possibilidade de futuro que oferece.

Comments

comments

Departamento de Comunicação e Marketing da Missão Salesiana de Mato Grosso.
www.misssaosalesiana.org.br

Comente!

Contato

  • +55 67 3312 6400
  • Rua Pe João Crippa, 1437
  • CEP 79002-390 - Campo Grande, MS