Você está em:    Home      CG 28      CG28: o silencioso trabalho do discernimento

CG28: o silencioso trabalho do discernimento

28 de fevereiro de 2020
Published in CG 28, Em destaque

“No silêncio Deus não fica em silêncio”. Com esta admirável frase de um padre sinodal, o P. Rossano Sala SDB concluiu ontem, quinta-feira, 27 de fevereiro, a apresentação de algumas comunicações importantes e outras sugestões, para garantir, a todos e a cada um, uma boa caminhada capitular. O Capítulo entra, assim, decididamente em sua fase de trabalho.

Boa e positiva a atenção que se respira, e evidente o empenho de todos.

As comissões, a partir do Instrumento de trabalho preparado pela Comissão pré-capitular, deverão estudar o tema nas suas diversas partes e, em seguida, formular por escrito as propostas à Assembleia; e por fim votá-las.

As quatro comissões para o tema trabalharão cada um dos três núcleos, em sucessão: isto significa, claro, que se iniciará pelo primeiro – “Prioridade da missão salesiana entre i jovens hoje” – sob os três momentos do discernimento : reconhecer, interpretar, escolher. Passar-se-á depois ao segundo; e finalmente ao terceiro.

O silêncio deverá pontuar a reflexão e conferir-lhe o necessário assopro espiritual.

A natureza do discernimento espiritual implica disciplina. Não há verdadeiro discipulado sem disciplina. Ela requer se penetre pessoalmente e como grupo nos diferentes momentos do processo em curso, que teve um “antes” (a escolha do tema pelo Reitor-Mor, a celebração dos Capítulos Inspetoriais e o trabalho da Comissão pré-capitular) e terá um “depois” (a atuação e a recepção nas diferentes realidades da Congregação: Conselho Geral, Regiões, Inspetorias, comunidades). Isto não condiciona a liberdade de expressão, antes favorece-a e a torna mais profunda, frutuosa.

As comissões podem, em seu interior, subdividir-se em subcomissões a fim de favorecer a troca e a partilha. É oportuno que cada subcomissão se envolva em todas as três passagens do discernimento (reconhecer, interpretar, escolher).

Visto que o segundo passo (interpretar) é mais amplo e empenhativo (exige a resposta a três grupos de perguntas), cada comissão deve avaliar da oportunidade de atribuir, de modo preferencial, a cada subcomissão um desses grupos de perguntas.

Cabe à Comissão Central ditar o calendário dos tempos de trabalho.

As Comissões deverão entregar sua contribuição acerca do primeiro núcleo até às 15h00 de segunda-feira, 2 de março. A organização do calendário espera ter a oportunidade de realizar um primeiro estudo dos três núcleos antes da semana das eleições (portanto até sábado, 14 de março). Se esse desiderato fosse alcançado, o Grupo de Redação teria à disposição o tempo necessário para predispor a primeira redação do Documento final.

Desse modo, os capitulares disporiam de toda uma semana depois das eleições para o debate que terá em vista a segunda redação.

Fonte: INFOANS

Comments

comments

Comente!

Contato

  • +55 67 3312 6400
  • Rua Pe João Crippa, 1437
  • CEP 79002-390 - Campo Grande, MS